Ator global Jorge Coutinho registra boletim de ocorrênciacontra Hugo Gross e outros membros do SATED/RJ



Jorge Coutinho e  Milton Gonçalves ganharam a eleição no Sindicato dos Artistas do Rio de Janeiro - SATED em 2018 contra o ator  Paulo Betti e seu grupo,  cujo placar foi 65% contra 35%. Milton Gonçalves era o secretário-geral; Carlos Vereza, secretário-substituto, e Hugo Gross, o administrador e substituto do presidente



Por Walter  Brito    
   

Ocorre que  o Milton sofreu um AVC Isquêmico e está  afastado da televisão e de suas funções no SATED, quando Carlos Vereza o substituiu. Por outro lado, o ator Hugo Gross, administrador da Instituição, substituiu Jorge Coutinho  no  período da Pandemia da Covid 19 e também  durante a campanha eleitoral de 2020, quando Coutinho se candidatou a vice-prefeito (PROS), cuja candidata para prefeitura foi a deputada Clarissa Garotinho, do mesmo partido do ator, à época com 85 anos.              

Ao término da campanha política, Coutinho continuou na sua função como presidente, mas trabalhando em home office, quando também atendeu   orientação da Globo, onde é funcionário  contratado. Neste sentido, ele foi diminuindo aos poucos sua presença física na sede do SATED, enquanto que Hugo avançou e passou a extrapolar suas funções de substituto, alega Jorge.            

Como muita gente que é do meio artístico sabe, a sede da instituição foi adquirida pelo Coutinho, inclusive colocando seu apartamento em Botafogo como fiador da compra da sede, que já foi toda quitada sob a administração do próprio Jorge Coutinho.            

Eis que  o administrador Hugo Gross, segundo Jorge Coutinho, já teve problemas na justiça até  com familiares, entretanto foi eleito na chapa do Coutinho e do Milton Gonçalves, mas Jorge, o presidente de fato e  de direito do SATED, alega que Hugo Gross e seus aliados estão  tentando tomar o poder do ancião de 86 anos no Sindicato dos Artistas a qualquer custo, inclusive prometem derrubar  o Jorge da presidência brevemente, enquanto que o mandato vence somente no final do ano. O argumento dos adversários do Coutinho, segundo ele próprio,  é porque ele está com  86 anos, e o Hugo e seus amigos dizem em grupo fechado de whatsapp, que ele, o Jorge,  não  goza de boa saúde mental.              

Por isso, o presidente  Jorge Coutinho consultou um médico neurologista, um especialista renomado,   que  lhe deu o laudo mostrando que ele goza de excelente saúde mental e é inteiramente capaz de continuar à frente da instituição, podendo inclusive  ser candidato ao governo do Rio de Janeiro em 2022, se for de fato o seu desejo e tiver um partido que lhe dê a legenda.  

Ressaltamos ainda que  Jorge  Coutinho reforça seus argumentos: "Foi criado um grupo no whatsapp com dezenas de amigos do Hugo Gross para desconstruir a minha  história de 62 de lutas pela cultura nacional e de resistência democrática, além de minha história no Teatro no início dos anos 60".  Conta Jorge, que era à época um jovem ator, formado na Escola de Teatro  Tablado, da internacional professora Maria Clara Machado. Naquela ocasião, ele percorreu o Brasil encenando belas peças teatrais pregando a reforma agrária, o que lhe custou anos de exílio na Argentina. Voltando ao Brasil, Coutinho continua a narrar sua carreira no cinema e na televisão, bem como durante 15 anos ficou à frente do Teatro Opinião. Nesse período, diz o ator e produtor, ele dirigiu estrelas como: Beth Carvalho, Alcione, Clara Nunes, Zé Keti, Cartola, Maria Bethânia, entre outras. O mesmo Jorge Coutinho foi presidente da Rádio Roquete Pinto, tendo como seu vice o ator Mário Lago.              

Jorge nos disse que não  aguentou tanta perseguição,  depois da ausência do companheiro de 62 anos de lutas, conquistas e vitórias, o Milton Gonçalves, que saiu de cena por motivo de uma doença, mas quando sombreado  com Coutinho lutava por dias melhores para os artistas de nosso país, argumentou o ator de 86 anos.  


Legenda: Da esquerda para a direita: O advogado Fernando Genú, a advogada Eluisa Souza, o jornalista Walter Brito e o engenheiro civil Ronaldo Evaristo - Foto: João Pedro.

Hoje, 24/3,  ao lado de seus advogados, os  doutores Eluísa Helena Pinto de  Sousa e Fernando Genu, cujo  escritório funciona  na Avenida Nossa Senhora de Copacabana, Jorge compareceu à 22ª Delegacia do Rio de Janeiro, localizada no bairro da Penha, e registraram um Boletim de Ocorrência, quando denunciaram os supostos desmandos de senhor Hugo Gross e sua turma no SATED, fundamentados na Injúria Qualificada, art 140 do CP e Difamação, artigo 139 do mesmo Código. Jorge foi ouvido pelo delegado titular, o doutor Wellington Vieira, com a participação da delegada auxiliar, a doutora Liliane. Os advogados de Jorge Coutinho estão dispostos a procurar também a Delegacia de Combate a crimes de  racismo e intolerância. Procurado pela reportagem, o senhor Hugo Gross disse o seguinte: "Estou perplexo com as maldades do senhor Jorge Coutinho e o poder que o senhor está  me dando por meio de sua pergunta de que desejo derrubá-lo", concluiu Hugo.                

Como se vê, a Pandemia da Covid 19 está deixando as pessoas em polvorosa. Entretanto,  independentemente dos argumentos de cada uma das partes, a verdade precisa  ser apurada. Pelo que pude perceber, os delegados da 22ª Delegacia procuram humanizar o trabalho policial da Penha, e a justiça será feita da melhor forma, para evitar o sofrimento do cidadão que vive um momento em que o nosso maior inimigo é a Covid 19, que já  matou mais de 300 mil pessoas em nosso país e avança a passos largos e firmes por todo o planeta Terra!
Google Plus

Por CEO Grupo M4

Entender Condomínio

0 comentários:

Postar um comentário