Goiás registra o menor nº de homicídios dos últimos 10 anos

Crimes violentos letais têm queda de 20% e contra o patrimônio, 44%, mostram indicadores apresentados pelo secretário Rodney Miranda (SSP). Média de veículos roubados em 2018, no governo anterior, era de 27,7 por dia e, atualmente, caiu para 5,9


"800 vidas poupadas", diz Caiado - Foto: Cristiano Borges e Júnior Guimarães.

Goiás registrou no mês de março deste ano o menor número de homicídios da última década, quando o índice começou a ser medido a partir da criação do Observatório de Segurança Pública. O dado foi divulgado, nesta sexta-feira (09/04), pelo governador Ronaldo Caiado e pelo secretário de Estado de Segurança Pública, Rodney Miranda, durante solenidade que contou também com a entrega de 400 novas viaturas e equipamentos para as forças policiais.

"Quero focar, mais uma vez, nos dados divulgados pelo secretário: o menor número de homicídios desde a criação do Observatório de Segurança Pública, nos últimos 10 anos, no mês de março de 2021", apontou Caiado. "Isso não é apenas uma curva em um gráfico, mas representa uma queda constante de crimes letais intencionais desde 2019, em que temos uma projeção de 800 vidas poupadas em Goiás", completou.

O governador também ressaltou a queda constante de roubos e assaltos a carros e de como o cenário em Goiás mudou. Antes, comparou, havia um aparelhamento de quadrilhas que tomavam conta e transformavam Goiânia e cidades do interior em verdadeiras montadoras de carros roubados. "Para se ter uma ideia, a média de veículos roubados no ano de 2018, no governo anterior, era de 27,7 carros por dia em Goiás. Hoje, com toda a nossa ação, estamos com a média de 5,9 carros roubados por dia. Toda a nossa área de segurança tem atuado fortemente", afirmou Caiado.

Durante o evento, realizado no Comando Geral da Polícia Militar, foi apresentada a comparação dos índices de criminalidade do primeiro trimestre de 2021 em relação ao mesmo período do ano passado. "Nós hoje trazemos números que todo o Estado deseja atingir. Garantir segurança pública aos seus cidadãos, que era algo que não existia [em gestões anteriores]", ressaltou o governador. "A sociedade goiana saía de casa como se estivesse ameaçada numa roleta russa", rememorou Caiado.

De acordo com o relatório da SSP, num comparativo com os três primeiros meses de 2020, a redução foi de 20% nos crimes violentos letais intencionais, ao passo que a queda de crimes violentos contra o patrimônio chegou a 44%. Destaque para o número de homicídios (incluindo feminicídio), que caiu 19%, e o de latrocínio, - 36%.

Caiado foi enfático ao reconhecer que a melhor segurança pública do país é feita por homens que, mesmo durante a pandemia, atuaram na linha de frente, com muitos tendo sacrificado suas próprias vidas. Também atribuiu o êxito nos resultados a um serviço cada vez mais integrado e com estratégias do serviço de inteligência. "Tudo isso é mérito dos nossos comandantes, policiais, nosso secretário, que se empenharam em criar uma cultura de integração entre as polícias", disse. "Hoje em dia, você vê toda a área de inteligência agindo em parceria, cada vez com maior capacidade de antecipar o diagnóstico, de poder identificar situações que, amanhã, poderiam causar graves transtornos para a sociedade goiana".

Ainda segundo o balanço da SSP, as demais reduções foram: lesão corporal seguida de morte - 20%; roubo de veículo - 43%; roubo a transeunte - 47%; roubo em comércio - 44%; roubo em residência - 44%; e roubo em propriedade rural - 37%. No primeiro trimestre, também foram cumpridos 1.202 mandados de prisão; 6.041 prisões em flagrante; 370.837 abordagens policiais; 1.352 armas apreendidas - 15 por dia; 4.588 operações deflagradas - 50 por dia; 7.813 ações preventivas (ações bombeiros); e mais de 11 toneladas de drogas apreendidas.

"Em produtividade, superamos, cada dia mais, os nossos índices e já pulverizamos os dos governos anteriores", frisou o secretário Rodney Miranda, que fez questão de prestar tributo à memória dos agentes de segurança pública que morreram vítimas da Covid-19. "Queria dividir o mérito por termos alcançado esses índices aos 50 profissionais da segurança pública que nós já perdemos", salientou.

Caiado seguiu com o reconhecimento. "Faço aqui questão de levar a cada família que perdeu seu ente querido, a cada policial que tombou pela Covid-19, minhas homenagens", pontuou. "Tivemos um dos maiores índices de perda de policiais em comparação com outros Estados, pelo pequeno número que temos de policiais militares, civis, Corpo de Bombeiros, Polícia Técnico-Científica, Polícia Penal e também toda a área de segurança pública, fazendo um esforço sobre-humano para atender aos 246 municípios, combater o narcotráfico e reorganizar o sistema de penitenciárias, que é, indiscutivelmente, o maior desafio que tivemos."

Demais índices
A Polícia Civil deflagrou 213 operações que resultaram em 190 prisões, 45 mandados de busca e apreensão, 17 armas e 50 munições apreendidas. O destaque foi para a Operação Anubis I, deflagrada em fevereiro deste ano, que teve como objetivo o cumprimento de mandados de prisão, contra suspeitos de homicídios, em Goiás.

Durante os cinco dias da ação, foram realizadas mais de 150 diligências, que culminaram com a prisão de 89 pessoas. A operação foi coordenada pela Gerência de Planejamento Operacional da Superintendência da Polícia Judiciária (SPJ), e foi a primeira do Programa Goiás de Resultados, coordenado pelo vice-governador Lincoln Tejota. "Estamos construindo um Estado que nosso povo pede. Um Estado seguro, que a gente possa investir, e que as famílias possam viver com tranquilidade. Tenho orgulho disto", destacou.

No que tange a segurança em âmbito rural, 4.574 propriedades foram cadastradas pela Polícia Militar (PM) durante o 1º trimestre de 2021 - 56.368 no total, ao longo da gestão Caiado. Já o Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBM-GO) realizou 16.804 resgates; 7.537 ações preventivas; 5.063 buscas e salvamento; 977 ações de combate a incêndio e 266 de defesa civil.

Já a Polícia Penal apresentou redução de 64% nos óbitos no sistema penitenciário; de 72% de presos foragidos e de 50% nas fugas. O Procon Goiás realizou a fiscalização de 753 empresas, com 473 autos de infração e 407 de apreensão. "A gente não comemora redução dos índices; ela nos mostra unicamente que nós estamos no caminho certo e que temos que continuar perseverando. Vamos comemorar um dia, como já comemoramos alguns, o zero. O zero de violência", finalizou Rodney.

Balanço da SSP 1º trimestre de 2021https://www.goias.gov.br/files/Balanco-SSP-primeiro-Trimestre-2021.pdf
Google Plus

Por CEO Grupo M4

Entender Condomínio

0 comentários:

Postar um comentário